Select Page

May The Force Be With You

May The Force Be With You

Eu tenho conversado com algumas pessoas novas que estão chegando ao “meio” BDSM e percebo um tendência comum que me incomoda. Ouço muito “eu não sei nada, não posso opinar” ou “ainda não me informei sobre esse assunto”. “Tenho pouca experiência”. “Não vivi quase nada”.

Não nego que, de fato, quem está iniciando tenha centenas de dúvidas. Mas isto não invalida nenhuma opinião, não desqualifica nenhuma questão, pois sem elas, como os novos se tornaram os experientes?

Obviamente estou falando aqui de um ambiente de adultos, e não de alguns circos onde protocolos são apresentados como verdades absolutas, e dezenas de “você deve” e “você não deve” são apresentados como regras inflexíveis, retiradas o ancestral volume “Sagrado Manual do BDSM “(que não existe).

Conhecimento. Experiência. Sabedoria. São termos próximos, mas tem significados diversos. Aqui segue minha interpretação deles.

A informação é o conjunto de dados que adquirimos por quaisquer meios, que quando organizada, formalizada em um conjunto coerente sobre qualquer tema, se transforma em conhecimento. A experiência é a nossa história, o que vivemos, diz como adquirimos o conhecimento e como o utilizamos. A sabedoria, é o resultado da interação entre o conhecimento e a experiência. O sábio nunca para de aprender, nunca sabe tudo, mas consegue dar saltos de qualidade na maneira como tem novas experiencias e adquire novos conhecimentos, num ciclo sem fim.

O sábio é uma lenda. Sabedoria nos ocorre em momentos de extrema lucidez, quando identificamos padrões através de nosso conhecimento e experiência.  Mas geralmente estamos muito ocupados vivendo nossas montanhas russas e turbilhões. Com o tempo esses momentos aumentam. Não é à toa que todo sábio é retratado como uma pessoa idosa.

Mas, voltando ao que comecei… Acho que vivemos uma mistura de insegurança em um ambiente muito tóxico, que gera esse tipo de reação. Há em grande quantidade os ditadores de regras (Tops E bottoms) que estabelecem seus grupos, séquitos, gangs

Home em mulher usando máscaras

os “Donos do Pedaço”…

particulares, onde louvam a si mesmos falando de verdadeiro BDSM, old BDSM, new BDSM, fetiche X BDSM e outras várias baboseiras, onde tudo que se discute são quais os protocolos corretos em D/s.

Do outro lado temos pessoas expostas a um oceano de informação que é a internet, onde tudo pode ser verdade, e chegar a uma informação confiável demanda tempo, leitura e pesquisa. No globalizado mundo do tudo pronto, do pague use e jogue fora, onde basta assistir um vídeo que te explica tudo, o resultado é mais pessoas para os grupos do parágrafo acima, ou muita gente que, com razão tem muitas perguntas a fazer.

Se o ambiente não permite perguntas, ele não se importa com conhecimento. E mais, não permite questionamento, pois abalaria as verdades absolutas. Logo sem o conhecimento, a experiência pode ser, no mínimo, desagradável.

O fato de não ter experienciado nada em relação ao BDSM, não invalida sua experiência de vida. Sua experiência foi o que te trouxe até esse mundo. Algo que viveu, sentiu, conheceu trouxe você até esse ponto. Então, ter pouca ou nenhuma experiência em BDSM, não desqualifica sua experiência de vida.

Não saber o que é base, tríade, o que significa uma prática não deve te levar a se calar, e sim a indagar perguntar, pesquisar. Se está em um ambiente hostil a esses questionamentos, não é você quem está errada(o), você precisa mudar de ambiente.

Se quem está informando lhe impõe posturas antes de você saber do que está se falando, você não deve se considerar ignorante ou deve assumir que deveria saber algo antes de estar ali. Isso só significa que está pessoa está congelada em seu próprio caminho, e que deseja que você faça o mesmo.

Se para ter acesso ao conhecimento você precisa se encaixar em um rótulo baseado em suposições sobre quem você é ou o que você gosta, isso vai levar a experiências desconfortáveis ou até mesmo traumáticas. Ninguém além de você pode decidir que rótulo você deseja usar, se é que deseja usar algum. Ninguém além de você pode decidir em que grupo se encaixa, ou se deseja se encaixar em algum.

O ambiente não é apenas tóxico. Há pequenas ilhas onde a seriedade, a compreensão e a clareza habitam. E junto com elas todos os prazeres mais insólitos que você pode ou não ter imaginado. Pessoas que passaram pelas mesmas dúvidas que você. Pessoas que passaram por coisas piores que você. Pessoas que podem ser fontes de conhecimento e experiência

Você pode se inexperiente em BDSM, você pode ter dezenas de dúvidas, mas você não é menos que ninguém, inferior a ninguém, não tem que bater cabeça para ninguém, não tem que se submeter a nada que não deseje. Você é uma pessoa como todas as que estão do lado de cá do véu são. Com sua história, seus desejos, suas desventuras e sua bagagem, que podem enriquecer ao invés de atrapalhar.

Da próxima vez, experimente perguntar, experimente dar sua opinião. Experimente dizer algo que possa ser bobagem. Se a pessoa ou ambiente não puder acolher sua dúvida, ou te explicar por que o que disse pode não fazer sentido, experimente dizer não.

Dizer não geralmente é o primeiro passo na estrada da sabedoria.

Ilustração estilo anime com emnina de costas segurando um guardachuva em um horizone azul.

Dê o primeiro passo…

About The Author

Leave a reply

Your email address will not be published.

Pin It on Pinterest

Share This