Selecione a página

A Long Time Ago, In A Galaxy Not So Far Away…

A Long Time Ago, In A Galaxy Not So Far Away…

Já falei algumas vezes que minha mais longínqua lembrança de contato com algo parecido com BDSM foi amarrar as bonecas Suzi da empregada da minha tia, quando ainda era garoto. De lá até aqui viajei muitos anos luz e universos paralelos até chegar onde estou. Alguns iluminados outros obscuros. Ou seja, não diferente de ninguém.

Capa do livro "The World of S&M"

The World of SM

Mas o marco de contato com o BDSM propriamente dito se deu através de uma edição especial de uma publicação americana chamada Penthouse Variations (para ser mais preciso, “Penthouse Variations presents The World of S&M”). Na época, este tipo de coisa só se achava em algumas bancas específicas do centro da cidade do Rio de Janeiro. A internet ainda estava usando fraldas, e hard copies eram o que se tinha.

Ainda lembro como fiquei maravilhado. Era como se alguém tivesse juntado de propósito todas as minhas fantasias e referências esparsas em um único lugar. A data do copyright é 1981, e se eu a adquiri neste ano eu tinha 17 anos…Meu inglês não era lá essas coisas, mas eu já havia criado um método de leitura e um vocabulário anotado em um caderno espiral com as palavras que mais me chamavam a atenção relacionadas ao assunto.

Me debrucei sobre o pequeno livro, e comecei a expandir meu mundo. Mais que nunca percebi que não estava sozinho, ou, pelo menos, que minha loucura era compartilhada por muita gente. Porque o mais legal era que cada seção tinha uma narrativa (conto, história) seguida por cartas de leitores (É, cartas. Naquela época, as pessoas escreviam o que queriam num papel, com linhas ou não, o dobravam, colocavam em um envelope e o enviavam pelo correio para um destinatário).

Índice do livro "World of S&M"

Conteúdo

Nas cartas, algumas pessoas descreviam seus sonhos, e outras narravam suas aventuras. Isso trazia um peso de realidade para tudo aquilo. Foi realmente um evento, e minha leitura de tudo aquilo me ajudou a compreender, me fez tentar pesquisar outras coisas semelhantes, ainda que de forma incipiente e difícil, pois, como já disse, as facilidades do Google ainda não existiam.

Não havia uma receita de bolo. Não havia vídeos no YouTube, não havia blogs, vlogs, canais, grupos, Facebook. Quem sabe em outro post conto como foi o aparecimento da Internet em minha viagem espacial.

Não tomem por favor, este texto como uma exaltação ao passado. Nem como uma valorização por “tempo no meio”. Pelo contrário, eu gostaria muito de ter tido as facilidades de hoje para me ajudar. Contudo…

Hoje, as facilidades mostram um outro gume na espada. As pessoas se acostumaram a ter tudo ao alcance da ponta dos dedos, e através de um teclado tem acesso a informações que só perdem para os Registros Akashicos[1]. E, no entanto, tudo que fazem é consumir sem pensar, sem questionar. A primeira informação é a que vale, mesmo que seja uma idiotice. O primeiro depoimento de alguém que se auto intitula famoso vira lei, se obedecem a padrões porque está num canal com milhares de visualizações, ou num grupo com milhares de participantes.

Mulher ajoelhada, amarrada e com o capacete do Darth Vader.

Desventuras do Dark Side…

Hoje, há quem faça um trabalho sério de divulgação. Há quem forneça acesso à informação, indique textos, aponte técnicas. Mas são poucos, muito poucos os que desejam aprender e ter trabalho. Poucos os que desejam questionar e avaliar se o que existe se adequa a seus desejos e fantasias, e fazem o contrário. Ou os que veem apenas uma “nova” tendência e querem experimentar como degustação sem ter idéia do que estão fazendo.

A esses poucos Jedi que conhecem ambos os lados da Força e permanecem tentando mostrar o caminho e auxiliando na

caminhada, levando ao questionamento, meus sinceros agradecimentos. Gostaria de tê-los conhecido, ou tê-los por perto, quando comecei.

E aos poucos Padawan que conseguem sentir os caminhos da Força, sejam bem-vindos. O caminho não é menos difícil, mas a jornada não será solitária.

[1] https://www.wikiwand.com/pt/Registros_akáshicos

Representação dos lados opostos da força em Star Wars

Sobre o autor

2 Comentários

  1. Avatar

    Adorei sua descrição… Posso dizer que a minha primeira “viagem” de conexão com o mundo BDSM, foi o filme 91/2 Semanas de Amor… Me maravilhei com a entrega dela …Tinha 16 anos e sempre será um de meus filmes preferidos, me marcou profundamente. Saudades dos tempos de cartas e esperas..rs..

    Responder
    • Marcus Silver

      Que bom que pude evocar uma boa lembrança. Ao nos identificarmos com personagens de histórias, sejam elas livros, filmes seriados, construímos um pouco mais a nossa própria história, esrabelecendo as semelhanças e diferenças.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Pin It on Pinterest

Share This