Select Page

Contra as artes das Trevas

Contra as artes das Trevas

Do site Pottermore:

 

 

Informações sobre o feitiço

Informações sobre o feitiço (há um erro na descrição – castor deveria ser caster)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Bom, para quem não sabe, não conhece ou tem preguiça de traduzir, “Riddikulus” é um feitiço para enfrentar as criaturas conhecidas como Bicho Papão, que assume a forma de seu maior medo para te atacar.  O feitiço transforma o Bicho Papão em algo engraçado, ridículo, risível.

É, eu gosto de D/s- BDSM e Harry Potter. E estou muito feliz com meus gostos. Ultimamente tenho sentido um imensa vontade de utilizar este feitiço. Mas aí, percebi que eu estaria desperdiçando o encantamento, uma vez que tornar o ridículo mais ridículo seria uma hipérbole.

Tenho ouvido por demasiado a citação “eu sou litúrgico”. Farei uma pequena visita ao dicionário Houaiss:

Freira com ball gag, rezando

Pecado?

“Liturgia”:

Acepções:

 substantivo feminino

Rubrica: liturgia.

1             o conjunto dos elementos e práticas do culto religioso (missa, orações, cerimônias, sacramentos, objetos de culto etc.) instituídos por uma Igreja ou seita religiosa

Exs.: a l. presbiteriana

a l. do candomblé

2             conjunto das formas (palavras, gestos) utilizadas na realização de cada um dos ofícios e sacramentos; rito

Exs.: a l. da missa

a l. do batismo

3             na Igreja oriental, a missa

4             ramo das ciências eclesiásticas cujo objeto é a história do culto católico e seu direito canônico

Ora… eu tenho meu código e minhas regras, mas não as considero uma religião. Acho que preferiria dizer “eu sou ritualístico”. Voltando ao Houaiss:

“Ritual”:

Acepções:

 substantivo masculino

1             Rubrica: liturgia.

livro que contém os ritos estabelecidos por uma religião e a forma de executar as cerimônias

2             Derivação: por metonímia.

o culto religioso; cerimônia, liturgia

3             Derivação: por metonímia.

conjunto de atos e práticas próprias de uma cerimônia ritualística

4             Derivação: por extensão de sentido.

conjunto das regras socialmente estabelecidas que devem ser observadas em qualquer ato solene; cerimonial

Ex.: o r. e a ocasião pediam um traje a rigor

 adjetivo de dois gêneros

5             relativo ou pertencente a um rito

Ex.: prática r.

6             conforme a um rito, que se assemelha a um rito

Ex.: cuidado r.

Eu ia continuar e verificar “cerimonial”,  então descobri o que me incomodava. “Eu sou litúrgico” vem sendo pronunciado no sentido de “Eu sou melhor, mais experiente, sei mais do que você.” Ou “Eu sei que observar as regras é um sinal de que eu estou qualificado a ordenar/servir com mais propriedade que você”. Ou ainda: “Ao me inserir e agir desta forma posso usar meu distintivo e você não”.

Como diria Joseph Klimber, em sua ancestral sabedoria:

CAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAARAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAALHOOOOOOOOOOOOOO!!!!!

As práticas BDSM já são atividades que sofrem um tremendo preconceito. Já é difícil, com uma mente aberta, encontrar uma pessoa para dividir seus gostos e preferências de uma forma onde haja interação e complementaridade. Já é difícil sendo novato, encontrar um ambiente onde quase nenhum esclarecimento é imparcial, e onde a não aceitação à “liturgias” o transforma em um incapaz e marginal, a não ser que se submeta (não me refiro apenas a submissos aqui). Já é difícil trazer assuntos para discussão quando toda discussão é uma disputa entre o certo e o errado, e não apresentação de diferentes formas de pensamento.

Quando além de tudo isso batalhas são travadas sobre qual é o melhor, correto e “verdadeiro” ponto de vista, a decepção é lancinante, aguda, profunda.

Duas mulheres em uma pose erótica

Solene e simples…

Vivo sim o BDSM à minha maneira, e continuarei vivendo. A convivência com outras formas de experienciar os pares/múltiplos dos acrônimos sempre será pacífica. Desde que não haja imposição, abuso, empáfia. Se chegar aos fascismos, pogroms, guetos e listas negras, me oporei ferozmente.

No mais, vivo o que me importa para e com quem me importa e NINGUÉM tem absolutamente nada a ver com isso, enquanto houver consensualidade, confiança e respeito.

P.S. : O sindicato dos bichos-papões nega veementemente qualquer ligação com religiões ou liturgia

P.S.2 : Nenhum bicho-papão foi maltratado, abusado ou ferido durante a redação deste texto.

 


Originalmente publicado em 18 de outubro de 2013

About The Author

Leave a reply

Your email address will not be published.

Pin It on Pinterest

Share This