Select Page

Alma, Espírito e Verdade

Alma, Espírito e Verdade

Mulher seminua ajoelhada com as mãos para trás

A entrega e seu poder transformador…

Fantasias, desejos, sonhos, vontades são coisas muito importantes na vida de quem é, na falta de uma palavra mais adequada, “kinksters”. Nos deixamos invadir pelo imaginário mais excitante e inebriante; realizamos na mente, na adrenalina, nossos sonhos mais arrojados, alguns até com aquela certeza de que terão que ficar na fantasia, por que extrapolamos. Projetamo-nos antes de sairmos em busca da concretização no real de nosso tesão, desejo e expressão de intensidade e sexualidade, mesmo que esta última não necessariamente ocorra imediatamente, ou por vezes não ocorra.Me refiro tanto aos que se entregam de forma calorosa e cerimoniosa quanto aos que tomam com a mesma pompa e garbo. Não há nada de errado nisso, antes de mais nada. Contanto que esteja claro para os envolvidos o que está acontecendo.

E aí está o grande problema. Quando trazemos o imaginário para o real, quando o pensamento torna-se realidade, temos que fazer um ajuste, mesmo que pequeno, no foco. Pequeno mas fundamental: não podemos nos esquecer de que o outro que ali está agora, trazendo sua própria bagagem de fantasias, é real. Temos que balancear, equilibrar, tendo a nós mesmos e ao outro em foco. Porque uma das maiores covardias que se pode cometer é fazer com que o outro se encaixe na fantasia. Ele/Ela não tem a menor chance. É muito injusto.

E o que se torna macabro é que quem impõe a fantasia tenta transformar o outro o tempo todo. E quem tenta ser o “Outro da fantasia”, se imbui de uma grande disposição e boa vontade, mas já perdeu antes de começar. Não temos esse poder de nos “transmorfar”(não, eu não quis escrever transformar) no objeto imaginário de desejo alheio

Então temos Tops que jamais conseguirão ser o Lorde dos Sonhos, mesmo que a bottom em questão marrete sua alma sonhadora incansavelmente. Temos bottoms que jamais serão “verdadeiras” porque não corresponderão as expectativas da “submissa perfeita” da imaginação daquele Top, por mais que ele force o “molde”.

Isso se não incluirmos a lenda do Sagrado Manual Do BDSM, que preconiza uma padronização de comportamentos teoricamente esperados que termina por acrescentar confusão ao cenário.

Mulher com coleira e olhos fechados chupando os dedos da mão de um homem

Sabor…

Existe beleza na entrega, na cerimônia e no comprometimento. Existe verdade e intensidade. Mas apenas quando são compartilhados. Quando as pessoas que estão envolvidas são reais e conscientes do que estão fazendo. Caso contrário a imposição reina de ambos os lados da relação BDSM, e o resultado não pode ser bom. Imposição não é consenso.

Vejo bottoms questionando se seu jeito “é certo” por que sentem prazer em se entregar de forma simples…ou muito mais complexas que o mais requintado ritual…Tops questionados por deixarem suas subs sentarem-se a seu lado…por lhes dar um beijo…Por lhes permitir…

Eu tenho uma teoria…acho que o tempo que se perde apenas criticando seria mais bem aproveitado se as pessoas que criticam fossem praticar BDSM do jeito que apregoam. Viva e deixe viver.

Mas parece que para esses alguns o verdadeiro prazer e sadismo está em amealhar-se e imiscuir-se na vida alheia banhando-se na glória da medíocre sabedoria do Sagrado Manual.

Vivam…é um tempo tão curto, já há tanto preconceito. Banhem-se no prazer de ter alguém a seu lado capaz de interagir com sua fantasia da melhor forma possível. Se não der certo, tente de novo, sem mágoa. Em algum momento as coisas se encaixam e os jeitos de cada um se combinam para um jeito que é pura harmonia. Mesmo que seja na mais severa restrição, na mais absoluta entrega, no mais absoluto controle possíveis.

Sou único com o outro desde que não me perca nesse outro. O “nós” sem as partes é um engodo. “Nós” sou eu e quem mais estiver junto na mesma sintonia. Só há “nós” se cada indivíduo não se perde ou tenta engolir e transformar o outro em algo que ele jamais vai ser. Sonho fantasia, desejo. Desse jeito o outro será sempre a sombra. Não importa de que lado esteja.

Viva a diferença e consiga a harmonia. E prazer. E vida.

Mulher seminua com as ãos presas e puxadas para cima por um corda.


Publicado originalmente em 22 de dezembro de 2013

About The Author

Leave a reply

Your email address will not be published.

Pin It on Pinterest

Share This