Select Page

7 Perguntas

7 Perguntas

Estou na “estrada das cordas” já faz um bom tempo…e durante esse tempo tenho recebido diversas perguntas. Resolvi neste texto, agrupá-las num Perguntas Recorrentes (ou FAQ), para quem sabe, ajudar a muitos que tem as mesmas inquietações ou curiosidades.

 

Sou gorda(o) não posso ser suspensa(o)

Balela. Tanto para a amarração de solo quanto para suspensão, tudo é uma questão de técnica. A gravidade é um fator que afeta todas as massas. Ela afetará a pessoa amarrada não importa o peso. Logo, é muito mais uma questão da adaptabilidade da pessoa às cordas do que de física (se não lembra das suas aulas, procure no Google a diferença entra massa e peso)

 

Tenho muita idade, sou menos flexível para ser amarrada(o)

Se você não cuida da sua saúde em geral, não pratica exercícios, suas articulações podem ser afetadas não importa sua idade. Uma pessoa jovem pode não ter flexibilidade, uma pessoa com mais idade pode ser ultra flexível. E, de novo, não é a pessoa que tem que se adaptar às cordas, é o oposto.

 

Shibari atrapalha a prática de [sexo, BDSM, escolha seu objetivo favorito]

A perspectiva aqui é importante. Amarrar para prática sexual é perfeitamente possível, assim como para práticamulher agachada com os braços juntos e amarrados nas costass BDSM (devo lembrar aqui que o kinbaku se originou do Hojojutsu, técnica de imobilização E tortura do Japão feudal). Logo, entenda que, por vezes, a intenção pode não ser a mesma que você tem em mente ao olhar uma amrração.

 

Vejo muitas modelos com arroxeados nos membros, isso não é perigoso?

Sim, é. Contudo, há que se observar aqui dois aspectos importantes: Primeiro, o do conhecimento do corpo de quem está sendo amarrada(o); pois cada pessoa tem uma tolerância diferente ao tempo que suporta a suspensão. Logo, algumas pessoas têm uma tolerância muito baixa à diminuição do fluxo sanguíneo provocada pelas cordas, outras tem uma tolerância alta, como é o caso de muitas modelos.
O segundo (e mais importante) aspecto é que o(a) amarrador(a) precisa estar o tempo todo no controle, verificando qualquer alteração que vá além do esperado. Não importa o quanto quem está sendo amarrado diga que está tudo bem. Esta é a razão pela qual deve-se ter muito cuidado em “demonstrações” com pessoas que nunca praticaram nada parecido antes.

 

Lavar as cordas as estraga, são caras, preciso preservá-las.

Essa é complicada de saber por onde começar… Vamos lá:
Primeiro: Cuidar de seu material é sempre fundamental para preservá-lo. Existem técnicas de tratamento, manutenção e preservação para as cordas.

Segundo, além de tratar as cordas para mantê-las utilizáveis pelo maior tempo possível, após utilizá-las em um corpo humano elas DEVEM ser higienizadas. Especialmente se houver fluidos ou sangue envolvidos Existem várias maneiras de fazer isso, assim como várias maneiras de cuidar da corda e mantê-la quase que impermeável.  Este artigo tem ótimas soluções.

A vida útil das cordas se deteriora com a lavagem, mas depende do tipo de lavagem. Também há técnicas para isso. E, no final das contas, você não vai arriscar utilizar um item não higienizado né? Tria o escorpião da carteira e compra cordas novas quando precisar.

 

Shibari é bondage, certo?

Sim e não…. Bondage é um termo por si só erroneamente associado a um estilo de amarrar, utilizado principalmente na Europa e EUA, que envolve técnicas bem diferentes. É mais simples, e consiste basicamente de voltas em torno de diversas partes do corpo. Nesse sentido, o Shibari / Kinbaku possui uma técnica mais apurada, que não visa apenas a imobilização
Se considerarmos Bondage no seu sentido mais amplo, podemos encaixar o Shibari como uma das práticas.

 

Shibari demora muito.

Quanto à demora…não só há situações onde a construção de uma amarração faz parte da interação, como há técnicas de imobilização rápida. Isso cabe a quem está envolvido. É difícil fixar padrões de tempo para uma amarração…se falarmos do aspecto artístico, quanto tempo um artista leva para compor sua obra? Se falarmos do aspecto prático, você precisaria ter uma afinidade um pouco maior que a simples curiosidade para ver algum sentido… Se estiver com muita pressa, compre umas algemas e divirta-se (nada contra algemas aqui, apenas contra a falta de visão…)

 

Por enquanto é só. Se tiverem mais perguntas, podem endereçar nos comentários, tentarei respondê-las sempre que possível.

About The Author

Leave a reply

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Pin It on Pinterest

Share This